terça-feira, 25 de novembro de 2008

Escolhas da vida ...

Ontem, voltando para casa, encontrei um amigo no ônibus. Ele estava falando da sua indecisão quanto a escolha do curso que irá escolher. Fiquei lembrando do meu "drama" na escolha e de toda consequência que a escolha que fiz.

Se eu pudesse voltar...

Se eu pudesse voltar?

O que faria?

A verdade é que eu até hoje eu não sei o que quero, e isso me mata!

É a primeira decisão que tomamos sem a influência dos pais. E é bem difícil. Se fracassamos na escolha, como eu, a culpa é nossa! Não podemos colocar a culpa em ninguém, nem mesmo nos nossos pais.

Escolher é a pior coisa. E é uma coisa que continuaremos fazendo!

7 comentários:

Anelise disse...

Vc tbm? rs Ainda vivo o dilema 'o que eu vou ser quando crescer?". Grande já sou mas isso não me ajudou em mta coisa não. Já sou jornalista mas não ligo pra isso. Ainda não sei o que quero ser não! Isso me incomoda bastante! rs Bem vindo ao clube! R boas escolhas pra nós....

Ricardo Dutra Gonçalves disse...

Aeeh Pinto!

Continue no seu processo de reflexão que você vai descobrir mais cedo ou mais tarde.

E conte comigo.

Lilia disse...

Será que este é um mal comum?
To trabalhando no que sempre sonhei, ganhando bem, tenho tempo pra estudar... e ainda me pergunto - será? gente... é tanto sofrimento, tanta miséria, tantas injustiças! da vontade de pedir pra parar o mundo e descer. rsrs e vem a pergunta. Porque fiz esta escolha? Mais uma pro clube.

Cris disse...

Esse texto me fez lembrar de quando eu fui escolher qual curso fazer. A vida toda queria algum curso de biomédicas, como medicina, farmávia, nytrição...foquei todo o ensino médio em nutrição, ate descobri que não tinha na Ufes. quando fui tentar, olhei todos os cursos possíveis e nenhum chegava eprto do que eu queria. Nao dava pra fazer matérias específicas de biomédicas e humanas ao mesmo tempo. Minha família me pressionava, todos queriam dar pitacos.Vi lá Comunicação-Jornalismo.Pensei: é esse o curso que tentarei aqui. Detalhe: me apaixonei e nao me vejo mais como uma nutricionista.
Outra escolha foi o segundo idioma, ja que fazia ingles por imposição de minha mãe. Fui no Centro d eLinguas decidiad a fazer Francês ou Espanhol. Na dúvida entre os dois, escolhi o italiano.Nem preciso falar que adoro o idioma, é perfeito! Sim, a vida é feita de escolhas, mas cabe a nós ver o que realemnte nos fará feliz, mesmo que outras pessoas não concorde com isso.
Bjs

Theo Conti disse...

Escolhas. Tão simples. Tão difícil. Intensas. No entando todas tem um peso na nossa vida que levaremos para sempre!

Eu escolhi fazer mais um intercâmbio, mas achei que não erraria as mesmas coisas que errei com o primeiro, no entanto muitos outros desafios que nunca imaginamos acontece. No caso de faculdade eu escolhi fazer um curso que gostava, mas quando me formei não me via no mercado que a faculdade havia me preparado. Não era aquilo que eu queria. Meu intercâmbio agora veio para eu também tentar me achar. Sabe o que percebi, que mais caminhos foram abertos, e a jornada de escolhar continuam, cada vez mais difíceis e cada uma mais inesperada que outras!

Não podemos escolher as cartas que a vida nos dá, a nossa liberdade reside em aprender a usá-las a nosso favor!

Até a próxima escolha!

Dani Call disse...

Oiee!!
Minha irmã esta no terceiro ano e ainda nao decidiu oq vai fazer!!
Bom... eu como sempre, indico o curso que eu faria se pudesse voltar os anos que passaram. Engenharia Civil.

Gosto muito do curso que fiz, mas é certo que as oportunidades não são iguais as de um Engenheiro.
Bom... é oq eu penso né?
Realmente... fico pensando muito sobre as decisões que tomamos no passado! Mas...
Precisamos cair várias vezes para levantarmos mais forte!

Grande beijo e sucesso sempre!!

E Lembre-se! Vc ainda tem muita estrada pela frente! É novo!
Não perca a coragem se tiver que começar de novo! Antes tarde do que nunca! bjsss

Janderson disse...

Se tivesse que fazer tudo o que jah fiz provavelmente cometeria os mesmos erros. A verdade é que não há como saber se nossa escolha é a certa ateh que se prove por fim. E como, espero, ainda não inventaram uma maquina pra prever o futuro, com exceção da magnifica mãe dinah, somos todos refens do destino.

E se mesmo depois de concluirmos alguns sonhos como carro, casa e faculdade sintimos que algo falta. Há duas hipóteses. Ou somos vítimas do famoso ouro de tolo ou algo muito mais complexo está errado, ou ainda tudo está errado.